Amor pela Música
Amor pela Música

Para começar a pensar em uma nova escola de música

 | 

Leia mais nosArtigos relacionados

Por Léa Ziggiatti*

É preciso começar por você mesmo. “Ouvir” é uma coisa rara no nosso tempo! Haverá sempre, por perto, um som ou um aparelho que topará  com você e perturbará a sua concentração. Será que sabemos ouvir? Aceite o desafio: ouçamos o “Silêncio”! Até as crianças pequenas podem aprender isso. Mergulhados nele, encontraremos uma capacidade incrível de perscrutá-lo e descobrir os seus segredos: ruídos próximos, no início, para depois, na concentração reencontrada, irmos alcançando mais ao longe, ouvindo vozes, uma construção ao longe, martelando um  rítmo repetitivo, a brecada de um carro, de uma buzina irritada, seguindo-se um palavreado incessante, da televisão do vizinho ou de um cãozinho latindo. Crianças menores adorarão esse exercício de descoberta e encantamento, ao conseguir escutar os passarinhos, nas revoadas matinais ou vespertinas.

Captando essas energias, você envolverá crianças maiores e até mesmo os bebês. Afinal, música para bebês não é mais uma invenção, porque a partir de até mesmo antes do nascimento, será  possível sensibilizá-los através das ondas sonoras.

Esses exercícios sensibilizarão desde os bebezinhos até as crianças, com uma capacidade auditiva mais ampla, dependendo naturalmente, das condições naturais que cercam essa criança no Mundo em que ela vive, na complexidade urbana de uma metrópole, com seus ruídos fantásticos e às vezes inesperados se a sua residência for a urbana, e de outros mais lentos e tranquilos se elas vivem na zona rural. Por todos esses motivos que me habituei a presentear os recém-nascidos com uma caixinha de música, de preferência não eletrônica, música  com mecanismo manual, uma dedicatória com intenções evidentes: “Para o bebê que nasce, a primeira lição de música da tia Léa.”

Atentai agora! Nesses primeiros contatos com o Universo Sonoro que os cercam, todos estarão tendo a primeira experiência com a realidade sonora que nos cerca, e que está sendo construída neste 3º Milênio, não só com os elementos da música tradicional, construída com vozes e instrumentos, através dos séculos, mas com uma música que refletirá as fontes sonoras que estiverem à disposição, mas todas as conquistas eletrônicas e quiçá “espaciais”, que nos previne que muitas modificações haverão de enriquecer a música dos nossos dias, nos reflexos sonoros que estão nos alcançando no Mundo Contemporâneo.

A Música se enriquecerá, será ampla, magnífica, rica de sonoridades, nos recursos antigos e modernos, novas sonoridades conquistadas  através dos séculos e consolidando-se agora, no 3º Milênio.

Não se apavorem! E não recuem! Todo mundo demora sempre um pouco para aceitar novos padrões e novos projetos. Ainda mais no campo da música. Mas, saibam, elas só se perpetuarão se forem feitas com o coração de quem as concebeu.

Não se preocupem! Ouçam com os ouvidos, com a razão e o coração, e encontrarão a verdadeira música!

Assim como existem as Obras Primas eternas, neste exato momento, os gênios musicais dos últimos séculos estarão criando novas músicas para a Eternidade.

foto_editorial_Lea_destaque

*Léa Ziggiatti:: musicista, advogada, jornalista e Diretora do Conservatório Carlos Gomes de Campinas, que reúne cursos técnicos profissionalizantes de música, teatro e dança. Entre muitas qualificações, Léa pesquisou e desenvolveu um método próprio de ‘Iniciação Musical Infantil’ e é uma referência cultural com legado exemplar de fomento à arte. Contato: secretaria@ccg.art.br | Amor pela Música #editorial de Música erudita#♥4♪

Amor pela Música é um projeto autoral desenvolvido para fomentar a arte por meio da música erudita, proporcionando o encantamento e o acesso à informação ao público amante do gênero, bem como aos músicos dessa categoria. Direitos Reservados – Rio de Janeiro.

Instagram @amor_pela_musica